Call of Duty: Ghosts. Mais do mesmo, denovo?

call_of_duty_ghosts-HD

Hoje, lançamento mundial de Call of Duty: Ghosts, é o grande dia para os fãs do gênero FPS. Todo ano, o mês de novembro gera ansiedade nos fãs da franquia, gerando milhões para a Activision. No entanto, a estratégia de lançar um novo título por ano é condenada por muitos e comemorada por outros.

Com uma janela de lançamento tão curta entre um título e outro, realmente fica difícil entregar inovação sem gerar estafa na franquia. Pra aliviar um pouco a pressão desse curto período de lançamento entre um título e outro, a Activision selecionou dois estúdios para a produção dos games: a Infinity Ward ficou responsável por todos os títulos da série Modern Warfare e aTreyarch pelos games da série Black Ops. Teoricamente, isso dá mais tempo de desenvolvimento para as produtoras, já que elas intercalam o lançamento anual. Mas, na prática, esse ganho de tempo não é tão evidente assim.

Nesse ano a Infinity Ward não deu continuidade à série Modern Warfare, resolvendo introduzir “Ghosts”, título que funciona como uma espécie de sucessor espiritual do excelente Modern Warfare 2. O lançamento é cross-gen, disponível para PS3PS4Xbox 360Xbox One e PC, sendo possível que os jogadores de consoles interajam entre si. Assim, jogadores de PS3 e PS4 poderão jogar uns contra os outros, por exemplo. Isso só é possível por conta da paridade técnica existente entre os títulos. trata-se da mesma engine e exatamente do mesmo jogo, incluindo design de fases e framerate travado em 60fps.

Como a nova geração desponta lá fora no próximo dia 15, é normal que as pessoas estejam perguntando qual a diferença entre as versões de Call of Duty: Ghosts entre os consoles current gen e os next gen. O site IGN aproveitou para produzir um vídeo que deixa bem clara essas diferenças. É evidente que há diferenças entre a atual geração e a próxima, pois trata-se de uma questão de superioridade de hardware. Mas elas não são tão perceptíveis como são em Battlefield 4, por exemplo. CoD: Ghosts nos consoles next-gen possui sutilezas com relação a texturas, iluminação e alguns efeitos de partículas que são mais simples no PS3 e Xbox 360. Mas são detalhes sutis.

Não é segredo para ninguém que Call of Duty: Ghosts é um game produzido para a atual geração de consoles. Ele foi “portado” (adaptação do mesmo código de programação dos consoles atuais nos consoles nex-gen) para o PS4 e Xbox One apenas para incrementar o line-up de lançamento e também por motivos comerciais, já que muita gente deverá comprar os novos consoles na data de lançamento e estarão ávidos para experimentar Call of Duty em um hardware superior.

Com isso, Activision e Infinity Ward perdem uma grande oportunidade de realmente criar uma engine (motor gráfico do jogo) totalmente nova, partindo do zero, com a finalidade de realmente explorar todas as potencialidades dos consoles next-gen. Comercialmente poderia até ser uma atitude mais arriscada em termos de investimento, mas manter as coisas do jeito que estão, só servirá para manter a franquia Call of Duty no marasmo.

Ainda não joguei “Ghosts”, mas já há relados pela web que novamente confirmam o que já era esperado: é mais do mesmo, mais uma vez. Mas vamos lá, é pra mexer em time que está ganhando? Além do mais, é muito provável que o game venda milhões, assim como os anteriores, que também sofreram com as mesmas críticas :)