Gran Turismo 6 [ANÁLISE]

carros_curva

Gran Turismo sempre foi uma franquia voltada pra quem realmente gosta de carros e não para aqueles que estão em busca de rápida diversão. Em Gran Turismo você provavelmente vai começar dirigindo um Renault Clio a, no máximo, 140km/h, penando pra ultrapassar seus adversários.

Diferente do que acontece com outros games de corrida, como a série Need for Speed e tantos outros, Gran Turismo é como o Jazz: é sofisticado, cheio de nuances, momentos únicos e vai te conquistando aos poucos. Enfim, exige um belo investimento de tempo que, logo acaba te recompensando.

E, Gran Turismo 6 é tudo isso e mais um pouco. Sim, ainda há falhas, como o ronco do motor de alguns veículos, que não chega a ser convincente e o sistema de danos, que praticamente não evoluiu. Mas há muito mais pra falar de Gran Turismo 6. É tudo uma questão de detalhes, cara! Vem comigo.

A EVOLUÇÃO ESTÁ NOS DETALHES

Com relação a Gran turismo 5, o novo game é uma evolução em todos os quesitos: carros, pistas antigas que antes não rodavam em HD e agora rodam, a iluminação que já era ótima e agora é soberba, a definição das sombras do carro que as vezes chega a assustar de tão precisa, as belíssimas transições entre dia e noite. Tudo está melhor.

E o que falar da chuva chegando no meio de uma corrida? Você olha para o horizonte e começa a ver as montanhas sumindo, com aquela fina garoa. Aos poucos, as primeiras gotas começam a cair no para brisas pra logo, na sequencia, vir com força total.

Quando você freia o carro, as gotas de chuva que estavam no teto, escorrem no para-brisa e, quando você faz uma curva, as gotas também se deslocam para o lado. Quando a chuva vai embora, as gotas restantes no para-brisa começam a se deslocar para os cantos do vidro por conta do vento, até que somem por completo.

Dá uma olhada nesse vídeo pra ter uma ideia. Via YouTube não dá pra perceber nem sentir muita coisa, mas serve pra dar uma ideia. Olhaí:

Há diversas corridas com variação climática de tempo, ou seja, você começa com o sol brilhando e, passadas algumas voltas, começa a ver o sol se por, até que a noite e as estrelas começam a surgir.

Sobre a iluminação do farol do seu carro, é ainda possível optar pela luz alta ou luz baixa, quando a noite cai. Experimente olhar para traz e verá que está completamente no escuro, no meio do nada. As corridas noturnas são bastante imersivas e dá pra perceber até a formação de estrelas no céu, pouco a pouco. Dá uma olhada nesse vídeo aí embaixo:

Também é bonito de se ver quando seu carro derrapa e roda na pista, indo parar na área de escape, onde há bastante areia. Especialmente quando isso acontece durante a noite, você verá a poeira levantar na traseira do carro em uma cor avermelhada, pois está refletindo a lanterna traseira do carro. Não há como não citar também o farol do carro refletindo nas placas laterais e superiores das pistas. Tudo é muito crível.

E falando em “dirigibilidade”, a direção em Gran Turismo 6 é muito mais precisa que no game anterior. Dá pra dirigir tranquilamente sem as linhas de condução e frenagem, desde que você conheça muito bem o traçado de cada pista, é claro.

A nova engine física faz toda a diferença na suspensão do carro e você já vai notar a diferença quando fizer uma simples curva. A inteligência artificial dos adversários nunca foi o forte de Gran Turismo, mas o 6° game apresenta uma evolução considerável nesse quesito e você provavelmente irá reclamar em alto e bom som quando um carro resolver te fechar pra defender a própria posição.

 

AS NOVAS PISTAS SÃO … INCRÍVEIS!

E o que dizer das novas pistas? Mount Panorama tem um visual incrível quando você chega no topo, Silverstone tem um dos traçados mais respeitados do mundo, Brands Hatch é uma delícia, Goodwood Hill Climb, onde acontece o Festival of Speed, no Reino Unido, é bastante verde e quase dá pra sentir o cheiro das árvores.

Dá uma olhada aí nesse gameplay na bela pista Matterhorn:

Willow Springs é em um deserto fotorrealista e os mais desavisados não perceberiam que se trata de um game, Matterhorn também traz um dos melhores visuais já criados em um game de corrida, com uma pista com um dos traçados mais difíceis da série GT, Apricot Hill Raceway é uma reestreante, já conhecida entre os amantes da série, Ascari é o circuito mais longo da Espanha, bastante complexo em termos de traçado e a Gran Turismo Arena é o principal palco para corridas de karts.

No total, são 37 pistas com mais de 100 variações de traçados. Sem falar nas variações de hora e clima. Ou seja, a Polyphony Digital deu ainda mais atenção aos detalhes em GT6. Dá só uma olhada nesse vídeo que compara a pista Brands Hatch original com a pista presente no jogo. O nível de realismo é absurdo. Assista e tire suas próprias conclusões:

BELÍSSIMOS CARROS!

A modelagem dos carros é soberba. Algo que beira o inacreditável quando falamos do hardware do PS3, datado de 2006 e que ainda segue fazendo um esforço imenso pra fazer tudo aquilo rodar em 1080p a 60 quadros por segundo. Sim, há momentos onde você perceberá a taxa de quadros caindo um pouco, principalmente quando há muitos carros na tela e detalhes demais acontecendo ao mesmo tempo.

Os carros standard ainda não se comparam aos premium, apesar de não haver mais separação entre eles dentro do jogo. Mas, comparando com GT5, eles foram bastante melhorados e agora podem ser tunados como qualquer outro modelo. Além disso, é possível notar melhoria estética entre eles, o que afasta um pouco aqueles veículos com modelagem bastante pobre, vistos no GT5.

seleção_carros

Mas vamos e convenhamos: o game possui mais de 1.200 carros. A tempo de modelagem desses veículos chega a 6 meses, segundo o próprio Kazunori Yamauchi, produtor da série. É inviável modelar cada um deles não apenas externamente, mas também internamente, incluindo assentos, painéis, volantes e tudo mais. Seria necessário um investimento muito maior de tempo e dinheiro.

Para ver a lista completa dos mais de 1.200 carros, clique aqui.

MENUS MAIS FUNCIONAIS

Os menus do game, em geral, receberam uma melhora considerável, não apenas em termos visuais, mas principalmente com relação ao tempo de carregamento entre uma tela e outra, o que fazia muita gente desistir de GT5. Ainda há uma certa demora quando você escolhe dar início a uma nova corrida, mas esse tempo vai sendo reduzido aos poucos, já que o game vai salvando detalhes das pistas no HD do PS3.

A arquitetura de informação entre uma tela e outra ficou mais lógica, mas ainda há espaço pra melhorar. Por exemplo, quando uma corrida termina, você não tem a opção direta para seguir para a próxima. Ainda é necessário selecionar “Sair” no menu, carregar a tela anterior e selecionar a próxima corrida, gerando mais uma tela de loading, que pode causar incômodo pra muita gente.

menu

QUE TAL UM CAFÉ E DEPOIS UM PASSEIO NA LUA?

Nem todas as corridas são extremamente prazerosas. Algumas te deixam tenso demais e pra isso, a Polyphony preparou alguns momentos de descontração. Quando você começa a vencer corridas, vai ganhando estrelas. A partir de um certo número, você começa a desbloquear “Coffee Breaks”, que nada mais são do que eventos onde você, dentro do carro, precisa derrubar o máximo de cones em uma arena, dentro de um determinado limite de tempo.

Existem também as missões lunares, onde você entra em um veículo lunar e precisa cumprir simples missões, interagindo com a gravidade zero. É, no mínimo, curioso. Acredito que você nunca dirigiu em gravidade zero. Muito menos na lua, certo?

carro_cones 

DIRIGIR SEM CARTEIRA NÃO PODE!

Já tradição na série, o sistema de Licenças de Gran turismo 6 volta com toda a força. No game anterior não havia obrigação em tirar licenças para poder correr em uma categoria superior, bastando para tal, acumular pontos de experiência.

Em GT6, caso você queira correr contra adversários mais agressivos, terá que fazer um teste, que não foge daquele velho esquema de fazer curvas sem sair da pista e testes de aceleração. No entanto, tirar as licenças aqui está muito mais fácil e acredito que você conseguirá passar de primeira por todos os testes com louvor, ganhando, pelo menos, um troféu de bronze. Mas, se você quiser o ouro, vai precisar se esforçar um pouco mais.

carro_folhas

De qualquer maneira, o bonze já permite que você receba a licença e esteja apto a dirigir em categorias superiores.

TRILHA SONORA

A trilha de GT6 se assemelha bastante aquela ouvida em GT5. Há muito Jazz Contemporâneo, principalmente nos menus. Durante as corridas predominam o eletrônico e o rock mais moderninho.

Não há nada comparável aos tempos onde Gran Turismo tinha na trilha Stone Temple Pilots,GarbageLenny Kravitz e tantos outros nomes famosos. A trilha sonora em GT6, apesar de boa e por vezes sofisticada, é low profile quando comparada aos outros games da série.

ENFIM, VALE A COMPRA?

Gran turismo 6 é sobre paixão por carros e paixão por velocidade, muita velocidade. Dirigir umaMercedes SLS AMG a 300km/h, ultrapassar seu adversário próximo a linha de chegada, dirigir durante a noite com chuva, tunar o seu carro, rebaixar a suspensão, personalizar a altura das molas, configurar o tempo de passagem das marchas e aceleração, personalizar os freios e vários outros itens, te agrada?

Então meu amigo, esse é o game pra você! certamente não é um game para todos, pois exige paciência, paixão, dedicação, persistência e muito apreço pelos detalhes. Como já disse, Gran Turismo 6 é sofisticado como o Jazz e tende a te surpreender quando você menos espera, como uma grande improvisação jazzística.

Ps.: A versão brasileira vem com um cupom que permite baixar 25 carros da edição comemorativa de aniversário de 15 anos da franquia. Esse conteúdo ainda traz o macacão do nosso herói Ayrton Senna, capacete e um modo que conta a história do piloto, desde seus tempos de Kart até a Fórmula 3, já que o Instituto Ayrton Senna, que irá reverter um pequeno valor das vendas para o Instituto, detém licença somente até este período da carreira do piloto.

Nota: 10.0

Artigo publicado originalmente no portal Tudo Para Homens, onde escrevo sobre games, tecnologia, cinema, música e comportamento.