Como vai funcionar o Playstation Now no Brasil?

psNOW

Há muito esperado, desde o surgimento do hoje finado Onlive, que foi anunciado lá em 2009 (cheguei a fazer um post sobre ele na ocasião) – e que não vingou porque era simplesmente uma startup com uma tarefa homérica que não conseguiu dar conta do serviço sozinha – o streaming de games foi oficializado ontem pela Sony, durante a CES, onde foi revelado o serviçoPlaystation Now.

Em meados de 2012, a Sony havia anunciado a aquisição do Gaikai por 380 milhões de dólares. O Gaikai já era um serviço de streaming de games, assim como o Onlive, mas não possuía investimentos suficientes para se tornar um player global. Com a aquisição, a Sony renomeou o serviço para Playstation Now e espera dominar o segmento, dando acesso a biblioteca de games de PS1PS2 PS3 através do Playstation 4, resolvendo aí, em partes, a falta de retrocompatibilidade do console.

IMG_6006-590Com os serviços de streaming de música e vídeo, mais especificamente Spotify Netflix, funcionando a todo vapor em vários países, chega a vez do streaming de games.

No ano passado a Sony deixou bem claro que, em um futuro próximo, a marca Playstation seria lembrada como uma espécie de serviço e não especificamente como um console de videogame. O anúncio de ontem vai totalmente de encontro ao que a empresa já havia anunciado e ainda lança uma quase certeza: de que não haverá um PlayStation 5. É bem possível que, se o Playstation Now realmente der certo, a Sony aborte os planos de lançar o sucessor do PS4 daqui a alguns anos.

COMO FICAM OS SMARTPHONES E TABLETS NESSA HISTÓRIA?

O Playstation Now vai rodar primeiramente no PS4 e PS3. Na sequência ele estará disponível noPS Vita, em SmarTVs da Sony, smartphones tablets.

Sobre esses dois últimos, eu imagino o impacto que o anúncio deve ter causado na Apple, que não esconde de ninguém suas pretensões no mercado de games. Será que a empresa vai aprovar o app em ambientes iOS com facilidade? E se a Sony liberar o app pra rodar somente em seus tablets e smartphones? Seria um argumento forte o suficiente pra catapultar a venda dos seus próprios aparelhos? Ou games de Playstation possuem comandos complexos demais para serem adaptados para telas de smartphones e tablets, não atraindo assim tantos consumidores? Ainda é cedo pra responder a essas perguntas.

psnow2

E NO BRASIL, COMO VAI FUNCIONAR?

Essa é a pergunta de 1 milhão de dólares. O Playstation Now vai funcionar, por enquanto, somente nos EUA e será lançado por lá ainda no 1º semestre, com uma versão beta do serviço estreando até o final desse mês. A Sony ainda não se manifestou sobre como o serviço funcionará na Europa, tendo em vista que lá há uma variação de velocidade de conexões maior que nos EUA, o que poderia resultar, a princípio, em uma entrega não satisfatória do serviço.

E no Brasil? Bem, sabemos que por aqui os serviços de banda larga disponíveis ainda estão aquém daqueles oferecidos nos EUA e Europa. Somando-se isso ao fato de que a Sony demora a lançar produtos da linha Playstation no Brasil (exceto o PS4, mas que também nem vale a pena considerar que ele foi lançado por aqui, dado o preço irreal, certo?), como a própria PSN Brasileira, que ainda é defasada se comparada com a PSN Americana e Européia, por exemplo, é possível que o Playstation Now dê as caras no Brasil somente daqui a uns 3 ou 4 anos.

Isso se o lançamento lá nos EUA e Europa correr exatamente como eles planejam. E, lógico, se até lá, nossa banda larga evoluir MUITO.

E COMO RODAM OS GAMES NO PLAYSTATION NOW?

Já há gente com acesso ao Playstation Now. Chris Welch, do The Verge informou que o gameGod of War: Ascention, do Playstation 3, funciona muito bem, mas que há uma relativa demora durante as telas de loading.

The Last of Us, também do PS3, roda bem, mas não exibe aqueles gráficos maravilhosos vistos no console. Como o processamento dos games acontece nos servidores da Sony e não no dispositivo que está acessando o Playstation Now, é possível que haja uma espécie de modulação que analisa a conexão e reconfigura algumas características do game para a transmissão via streaming, semelhante ao que acontece com o Netflix.

Completam a versão beta do serviço, os games Beyond: Two Souls e Puppeteer. Dá uma olhada no vídeo abaixo, feito pelo pessoal do The Verge:

E QUANTO VAI CUSTAR A BRINCADEIRA?

A Sony ainda não anunciou o preço que irá cobrar pela assinatura do serviço completo, mas já afirmou que será possível também alugar games ao invés de manter uma assinatura completa. Só espero que quem já é assinante da PSN Plus tenha algum desconto.

Se tudo der certo, mais pessoas irão pagar mais por melhores conexões de banda larga. Haja dinheiro. Ainda nesse raciocínio, a pergunta que fica é: com tudo isso, os DLCs continuaram saindo? Ser gamer no Brasil tende a ser cada vez mais entretenimento de luxo.

Vamos aguardar as cenas do próximo capítulo pra ver o que a Microsoft tem a dizer sobre tudo isso.

Anúncios